o que é capital de giro

Todo bom empreendedor tem que saber o que é capital de giro para conseguir manter o seu negócio funcionando e operante para os seus clientes. 

Quando estamos falando em vendas para o setor público, mais especificamente, o capital de giro é especialmente importante porque, muitas vezes, o governo pode atrasar no pagamento.

Nesses casos, o capital de giro é essencial para manter a sua empresa funcionando mesmo com o atraso.

Entenda tudo sobre o que é o capital de giro, como atingi-lo, como fazer sua gestão e muito mais no texto a seguir! Boa leitura!

Comece a vender hoje para o Governo! Faça seu cadastro no Portal de Compras Públicas!

O que é capital de giro e para que serve?

Capital de giro é a diferença entre a soma das contas a pagar e os recursos disponíveis em caixa. Em outras palavras, é o dinheiro sobrando no caixa da empresa após descontados todos os custos e despesas da operação.

Ou seja, a importância do capital de giro na gestão financeira de uma empresa é gigante, uma vez que para manter o negócio funcionando, tanto com o pagamento correto de fornecedores e colaboradores e quanto para garantir que uma empresa vai conseguir realizar todas as entregas programadas.

Sem capital de giro, uma empresa não consegue se planejar ao longo dos meses e isso pode ser especialmente prejudicial para empresas que querem vender para o setor público.

Quais são os tipos de capital de giro?

Quais são os tipos de capital de giro

Em linhas gerais, existem dois tipos de capital de giro: o capital de giro bruto e o capital de giro líquido, que ainda podem ser permanentes ou variáveis.

O capital de giro bruto nada mais é do que o total de ativos circulantes, enquanto o capital de giro líquido é a diferença entre o ativo circulante e o passivo circulante.

Note que ativos e passivos circulantes não necessariamente são somente dinheiro ou dívidas, mas podem representar também produtos em estoque ou despesas comuns.

Nesse sentido, eles podem ser classificados como permanentes ou variáveis. O capital de giro permanente é o mínimo de capital necessário para manter a empresa funcionando e atendendo às suas demandas.

Por outro lado, o capital de giro variável é aquele que pode ser adicionado ou retirado da empresa por conta de uma necessidade temporária.

Como saber se realmente preciso de capital de giro?

É simples: independente de quem sejam os seus clientes (o estado ou o setor privado), ter capital de giro é essencial para manter a sua empresa funcionando durante aqueles meses em que a movimentação tende a ser menor no seu setor.

No caso de empresas que querem vender para o governo, essa ferramenta é ainda mais importante, já que o Estado paga pelos serviços ou produtos contratados até 30 dias depois da entrega, entretanto, esse prazo pode ser prorrogado por mais 90 dias.

Se uma empresa não tem capital de giro suficiente para se manter funcionando por um período assim, como ela fica se o Estado tiver de prorrogar o pagamento?

Essa é uma mentalidade que o empreendedor deve ter com o Estado, mas que também deve se estender aos outros clientes do setor privado, afinal, ninguém quer ter de assumir uma dívida muito grande e que comprometa o próprio funcionamento de sua empresa.

O que é gestão de capital de giro?

O que é gestão de capital de giro

A gestão de capital de giro é uma estratégia de contabilidade com foco na manutenção do equilíbrio financeiro entre ativos e passivos de uma empresa.

Através de uma boa gestão de capital de giro, é possível cobrir suas obrigações financeiras e aumentar os lucros da empresa.

Características da boa gestão do capital de giro

Uma boa gestão de capital de giro leva em consideração todos os fatores que envolvem o dia a dia da empresa.

Coisas que vão desde o salário dos colaboradores até mesmo aos gastos com manutenção e outros indicadores, como a rotatividade do estoque, a receita dividida pelo custo, etc.

Qual deve ser o capital de giro ideal de uma empresa?

Em linhas gerais, podemos dizer que o capital de giro ideal de uma empresa é aquele que garante o seu funcionamento com uma margem de lucro.

O tamanho específico desse capital, por outro lado, vai variar bastante de acordo com o momento da empresa, a sua atividade fim, o tamanho da empresa, suas receitas, despesas, responsabilidades futuras, etc.

Capital de giro: entenda a fórmula para calcular

Existe uma fórmula simples para calcular o capital de giro de uma empresa e ele é:

  • CGL = AC - PC

CGL, ou o Capital de Giro Líquido, é igual aos Ativos Circulantes menos os Passivos Circulantes.

Ou seja, para calcular o capital de giro de uma empresa, basta subtrair os passivos (as contas, dívidas, pagamentos, empréstimos a serem pagos, etc.) do total de ativos (aplicações financeiras, caixas, contas a receber, produtos no estoque, etc.).

Por isso é preciso que, além de fazer o cálculo, que você fique atento a alguns fatores que são importantes.

Em primeiro lugar, é preciso levar em consideração as contas a receber, que são resultados das vendas de longo prazo - quando o cliente leva o seu produto e te paga depois.

Quanto maiores forem os pagamentos a receber (tanto o prazo de entrega quanto o número de pagamentos feitos dessa forma), mais recursos a empresa precisará ter para bancar as contas a receber enquanto esse dinheiro não cai no faturamento.

Já o estoque precisa de modificações de acordo com as necessidades do mercado consumidor da empresa, por isso, ele sofre mudanças de investimento constantes, tanto no tipo de produto quanto nas suas quantidades.

O caixa e a conta corrente, por outro lado, são os locais onde se concentram os recursos financeiros que estão, de fato, disponíveis para a empresa.

É ao caixa e a conta corrente que o empreendedor vai recorrer na hora de honrar seus compromissos e dívidas.

Capital de giro: cuidados necessários

Capital de giro: cuidados necessários

Um conceito que todo empreendedor deve ter em mente para tomar os cuidados necessários com o seu capital de giro é o da reserva de contingência.

Nem sempre uma empresa recebe recursos sempre e de forma constante. Por isso, é preciso que você fique sempre muito atento aos valores a receber e os seus gastos mensais necessários para manter a empresa operante.

É muito comum que, em alguns meses, os gastos sejam maiores do que os lucros e é nessa hora que o fluxo de caixa e as reservas de contingência são importantes.

É simples: em todo mês que a entrada de recursos for maior do que os gastos, isto é, quando houver lucro, é importante que esse lucro, ao invés de ser embolsado, vá para uma reserva que vai cobrir esses outros meses com movimento menor.

O ideal para ter uma empresa com um fluxo de caixa operacional bem feito e com seguridade financeira é que essa reserva de contingência consiga manter a empresa de pé sem receita por no mínimo seis meses.

Tomar esses cuidados é necessário quando estamos atendendo o setor privado, mas é essencial quando estamos falando em vender para o setor público, pois, no total, o Estado pode levar até 120 dias para pagar uma licitação caso todos os prazos sejam prorrogados. 

Se uma empresa não toma esses cuidados, se não tem um bom capital de giro nem uma reserva de contingência que a ajude a manter a empresa de pé por um período de vacas magras, ela simplesmente não vai conseguir se sustentar caso algum imprevisto aconteça.

Por outro lado, se uma empresa por acaso fraudar a documentação necessária e isso acaba resultando somente na entrega parcial do acordo ou na não entrega, como vimos anteriormente, a empresa pode sofrer diversos tipos de sanções administrativas.

Como obter e ampliar o capital de giro próprio?

sofrer diversos tipos de sanções administrativas. Como obter e ampliar o capital de giro próprio

Como vimos no tópico anterior, uma das formas de ampliar o capital de giro é através da economia durante os meses de vacas gordas.

Ou seja, nos meses em que a empresa tem uma receita maior do que a despesa, o ideal é colocar esse excedente numa reserva de contingência.

É uma forma de assegurar que a empresa continuará operacional ao longo dos meses e até mesmo de aumentar as áreas de atuação da empresa no futuro, conforme a demanda crescer.

Entretanto, ainda existem outros métodos para ampliar o capital de giro da sua empresa. Confira:

Identifique e corte gastos

Enquanto gestor de uma empresa, você deve se atentar aos gastos e despesas da empresa. O primeiro passo é dividi-los entre pontuais e recorrentes.

Dessa forma, você vai ter uma ideia melhor de quais gastos podem ser cortados e quais definitivamente não podem.

Existem várias oportunidades para fazer isso, desde a compra da matéria-prima, dos materiais de escritório e equipamentos, etc.

Controle o Fluxo de Caixa

Você deve manter o fluxo de caixa controlado para poder manter e aumentar o seu capital de giro através das reservas de contingência que citamos anteriormente.

Entretanto, ele é muito importante especialmente se você tem trabalhadores com carteira assinada, pois eles têm direito ao décimo terceiro.

Se você não tiver o seu fluxo de caixa controlado e organizado, é capaz de chegar no fim do ano sem ter ideia de onde tirar o dinheiro para pagar o décimo terceiro de seus funcionários.

Entretanto, controlando o fluxo de caixa, você consegue separar certinho as parcelas durante os meses do ano e pagar todos os seus colaboradores em dia e em conformidade com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Tenha um plano de negócios

Ter um plano de negócios desenhado desde o começo de um empreendimento é essencial para entender como a empresa funciona.

Ele facilita a vida do empreendedor durante toda a trajetória do empreendimento, pois o documento contém os meses de maior receita e menor receita, além de outros dados, como análise de mercado, de concorrentes e de planejamento de marketing.

O plano de negócios também pode te ajudar com o planejamento financeiro, te informando, por exemplo, depois de quanto tempo você terá uma um capital de giro suficiente para começar a ter um lucro real sobre a operação.

Saiba negociar com fornecedores

Negociar os prazos com os fornecedores pode ser bastante desafiador, contudo, na medida em que um relacionamento é criado e há um histórico de bom pagamento, a empresa vai conquistando mais reconhecimento e liberdade para negociar prazos.

O ideal é ter uma relação de confiança com os fornecedores. Ser colaborativo e deixar claro quais são as suas expectativas é extremamente necessário para uma boa colaboração.

Considere fazer um empréstimo

Fazer empréstimos é sempre uma opção para quem quer manter o capital de giro da sua empresa em ordem.

Você pode encontrar diversas oportunidades de empréstimos especiais, bem como parcerias para o fornecimento de plano de saúde ou vale alimentação para os seus funcionários através da Mapse!

A Mapse é um projeto do Portal de Compras Públicas que oferece uma série de benefícios de Parceiros a empresários associados de todos os portes e segmentos.

Dentre outras coisas, oferecemos seguros, crédito para empresas, turismo cooperativo, certificado digital e a oportunidade de dar benefícios para os seus funcionários.

Seja um parceiro da Mapse e comece a aproveitar os benefícios agora mesmo!

Conclusão

Como vimos ao longo do texto, o capital de giro é um aspecto muito importante dentro das empresas, uma vez que permite a elas crescer mais rapidamente através da gestão e aplicação dos recursos financeiros adquiridos na operação.

Ter um bom capital de giro faz com que a sua empresa tenha a capacidade de atender demandas volumosas e serve como prevenção nos momentos em que o Estado precisa prorrogar o pagamento dos serviços contratados através de licitações.

Por isso, invista em capital de giro, faça uma reserva de contingência e tente fazer a melhor gestão de capital de giro possível, cortando gastos desnecessários e, quando possível, fazendo investimentos que irão reduzir ainda mais seus custos no futuro.

O Portal de Compras Públicas agradece sua leitura!