Após duas décadas de negociação, Mercosul e União Europeia estabelecem acordo comercial para o livre comércio e redução de tarifas. Mais de 90% das exportações  do Mercosul para a União Europeia terão as tarifas zeradas em até dez anos segundo o Itamaraty.
 
O acordo prevê também que empresas europeias participem de licitações brasileiras e vice-versa. Caso entre em vigor, o acordo tornará os processos de licitações mais justos e transparentes, além de facilitar mercados de ambos os lados, de acordo com um resumo divulgado pela UE.
 
Empresas brasileiras terão acessibilidade ao mercado de licitações europeias estimado em US$ 1,6 trilhão por ano. Segundo o Ministério da Economia,  estima-se um aumento de 125 bilhões de dólares ao PIB do Brasil. Porém o texto ainda não foi aprovado, sendo ainda necessária a análise da auditoria do parlamento da União Europeia podendo ainda ocorrer alterações.
 
Além disso, o acordo visa a ampliação  das compras governamentais proporcionando uma concorrência maior em licitações públicas, diminuição das tarifas dos trâmites de exportação, importação, trânsito de bens, entre outros.
 
A União Europeia e os países do Mercosul também se comprometeram através do acordo a trabalhararem com os governos municipais e estaduais, fazendo com que as empresas europeias estabeleçam propostas e contratos também nesses setores. O objetivo é concluir o processo no mínimo em dois anos após a entrada do acordo em vigor.